Quando o inadimplente vira PDD

Com o cenário instável e de muita especulação no ano de 2016, a economia do país obteve mais uma notícia nada agradável e de muita preocupação para muitos. Com a economia do país decrescente os PDD’s (Provisão para Devedores Duvidosos) não poderiam figurar de forma diferente, ou seja, iniciou-se uma queda livre subindo em 4,3% e batendo o recorde de R$ 93 bilhões no ano passado e acredita-se que esse número possa aumentar mais em 2017. Visando isso as companhias estão se adequando e se antecipando com as melhores práticas do mercado com o intuito de amenizar os impactos.

O PDD nada mais é que um provisionamento de valores entre inadimplência vs. clientes, para proteger as empresas contra as perdas financeiras em relação ao não recebimento de suas vendas. Esse cálculo é feito com um esforço direto dos setores de cobrança e vendas nas companhias, pois tudo depende das estimativas de pagamento e muito também de profissionais que mantém contato direto com seus clientes, possibilitando uma estimativa das quitações dos recebíveis.

Para alcançarem tais estimativas, vale destacar que as companhias necessitam de um grande esforço em seu quadro de profissionais, seja para manterem um relacionamento mais próximo de seus clientes ou até mesmo facilitar a comunicação.

Em contrapartida, com a economia decrescente cada vez mais as empresas buscam melhorias e menores custos, visando sempre melhorar o relacionamento com o cliente sem ter que elevar os custos diretos. Pois cada vez mais o mercado se torna exigente com práticas de comodidade, quanto mais facilidade e agilidade, melhor o resultado final esperado.

Dessa forma, uma prática que vem se tornando viável e amigável para as companhias nesse cenário são as automatizações de processos, seja no setor de vendas, no setor de relacionamento com cliente ou no setor financeiro. Pois além de não elevar os custos e não perder a proximidade com seus clientes, o ganho com processos transparentes faz com que essa proximidade só aumente, colaborando não só com as estimativas dos recebíveis como também de fato um aumento significativo na quitação das vendas.

 

Fontes:

http://www.infomoney.com.br/mercados/noticia/6265808/maior-inimigo-dos-bancos-voltou-pdds-sobem-2016-batem-recorde

http://www.quickbooks.com.br/r/planejamento-financeiro/pdd-provisao-devedores-duvidosos-2/